Tag: perda de peso

🥇 Sibutramina – Saiba tudo sobre este medicamento 🤔

Um dos medicamentos mais utilizados pelas pessoas que sofrem com a obesidade é o Sibutramina. Isso ocorre porque ele aumenta a sensação de saciedade, o que ajuda a evitar a ingestão de alimentos em excesso e também a aumentar a termogênese, facilitando a perda de peso. Ele é um remédio forte, que pode apresentar alguns efeitos colaterais e que deve ser usado estritamente mediante orientação médica.

O Sibutramina não deve ser usado unicamente como emagrecedor. Ele deve apenas ajudar na perda de peso, combinado a exercícios físicos e a uma alimentação saudável. O Sibutramina age diminuindo o apetite e dando a sensação de saciedade por um tempo maior. Ele ajuda também em problemas como o colesterol alto, diabetes, hipertensão, entre outros.

Como surgiu o Sibutramina?

No começo, o Sibutramina era usado como antidepressivo. Ocorre que o medicamento não surtiu grande efeito no tratamento dessa doença, entretanto, causou efeitos no cérebro que fizeram os pacientes sentirem menos fome. Isso levou à redução da quantidade de alimento ingerido.

Os seus efeitos estão ligados a mudanças na interação entre os neurônios responsáveis pela noradrenalina, serotonina e dopamina. Isso acaba interferindo na função que o cérebro comandou a princípio. Devido a esse tipo de efeito, o medicamento passou  a ser indicado para o tratamento de obesidade nas pessoas que não conseguem diminuir o índice de massa corporal para os níveis adequados para o corpo ou que possuem alguma outra doença.

Confira o vídeo que separei para você sobre o assunto:

O que é obesidade e quais os tipos?

A obesidade nada mais é do que o acúmulo de gordura no corpo que se deve ao excesso de calorias ingeridas durante a alimentação. Ela pode levar a uma série de outras doenças, como diabetes tipo 2, doenças do coração, pressão alta, artrite, apneia e derrame. Ao consumirmos mais calorias do que gastamos, o nosso peso aumenta. Em suma, tudo o que comemos e todas as atividades que praticamos influenciam diretamente nesse quadro.

Tipos de obesidade

A obesidade pode ser classificada em diversos tipos. Veja:

Homogênea:

Nesse tipo de obesidade a gordura é distribuída de forma homogênea no corpo: tanto braços, quanto nas pernas e no abdômen.

Andróide:

Esse tipo de obesidade é mais comum nos homens, ou então nas mulheres depois da menopausa. Ocorre um acúmulo maior  de gordura na região do abdômen e também no tórax. isso faz com que aumentem os riscos de doenças cardíacas.

Ginecóide:

Esse é o famoso formato de pera e é mais presente nas mulheres. Isso ocorre devido a um acúmulo de gordura concentrado nas nádegas, no quadril e nas coxas. Nesse caso, aumenta-se as chances de desenvolver artrose e varizes.

Classificação por IMC (Índice de Massa Corpórea)
IMC 1: entre 25 e 29,9 kg/m² = Sobrepeso
IMC 2: entre 30 e 34,9 kg/m² = Obesidade grau I
IMC 3 – Entre 35 e 39,9 kg/m² =Obesidade Grau II
IMC 4 += 40 kg/m² = Obesidade Grau III.

Quais são os fatores de risco?

Genética:

Os genes, aliás, podem afetar a quantidade de gordura que o corpo armazena e como ela é distribuída. A genética é responsável pela eficiência na hora de transformar os alimentos em energia e pela forma como ocorre a queima de calorias durante a prática de exercícios físicos.

Estilo de vida familiar:

Caso um ou ambos os seus pais biológicos possuam problemas de peso, o risco de obesidade aumenta consideravelmente. Isso porque os integrantes de uma família, geralmente têm os mesmos hábitos alimentares.

Inatividade:

Se uma pessoa não for muito ativa, a queima de calorias acaba sendo menor. Enquanto levarmos um estilo de vida sedentário, será bem fácil ingerir mais calorias

Má alimentação:

Ter uma dieta rica em calorias, fast-food e bebidas hipercalóricas, eventualmente levará ao sobrepeso.

Doenças:

Existem algumas doenças que são responsáveis por causar a obesidade, como a síndrome de Prader-Willi e Cushing, entre outras.

Medicamentos:

Alguns medicamentos podem causar igualmente o ganho de peso, caso não sejam compensados por meio de dieta ou atividade.

Idade:

Conforme envelhecemos ocorrem mudanças nos nossos hormônios e a quantidade de músculos no corpo diminui.  Portanto, se não houver um controle do que se come, provavelmente, a pessoa certamente ganhará peso.

Gravidez:

Durante a gravidez, a mulher costuma ganhar bastante peso. Algumas mulheres têm dificuldade para perder o peso que ganharam na gestação, conforme o tempo vai passando. Pois saiba que esse ganho acaba contribuindo para a obesidade.

Tabagismo:

Parar de fumar, para algumas pessoas, pode causar um ganho de peso que leva à obesidade. Entretanto, para outras pessoas, o oposto acontece: ocorre uma perda significativa de peso.

Insônia:

Não dormir o tempo suficiente ou dormir demais também pode alterar os hormônios que aumentam o nível de apetite.

Quais os efeitos colaterais desse medicamento?

O Sibutramina pode causar sobretudo:

  • Dores de cabeça;
  • Prisão de ventre;
  • Boca seca, ansiedade;
  • Mudança no paladar;
  • Aumento da pressão;
  • Constipações;
  • Dores musculares;
  • Insônia;
  • Náuseas;
  • Tonturas;
  • Aumento do suor;
  • Alterações de humor;
  • Palpitações;
  • Aumento do batimento cardíaco;
  • Desmaios rápidos;
  • AVC;
  • Enjoo;
  • Vômitos;
  • Prisão de ventre;
  • Convulsões;
  • Dormências;
  • Rinite;
  • Sinusite;
  • Entupimento do nariz;
  • Inflamações na garganta.

Importante: O uso de Sibutramina pode levar ao surgimento de graves problemas cardíacos, sendo até mesmo proibido em alguns países, pois pode causar taquicardia, infarto ou até derrame.

É indicado para emagrecer?

Sozinho, o Sibutramina geralmente não traz resultados satisfatórios. Ou seja, deve ocorrer uma mudança alimentar para que haja uma dieta mais saudável e balanceada, com a prática regular de exercícios físicos. Ademais, esse medicamento só de deve ser usado sob indicação médica, haja visto os danos que ele pode causar ao organismo.

Quais as suas contraindicações?

Ele é contraindicado para quem já possui histórico de diabetes tipo 2, somado a outro fator de risco, como a hipertensão ou o colesterol alto. Pessoas que possuem doenças cardíacas, distúrbios como anorexia nervosa ou bulimia, gestantes, lactantes, pessoas com doenças do coração, glaucoma, dependentes químicos, crianças menores de 12 anos, pessoas que têm convulsões, com rins ou fígado que não trabalham adequadamente, pessoas com problemas mentais e também pessoas que fazem uso de medicamentos como descongestionantes nasais, antidepressivos, antitussígenos ou supressores do apetite.

O Sibutramina precisa de receita?

Sim. Para usar sibutramina é preciso ter uma receita médica em mãos e adquirir apenas os produtos vendidos nas farmácias.

Ele é vendido em forma de cápsulas e pode ser comprado na forma de genérico, com os nomes de Reductil, Biomag, Nolipo, Plenty ou Sibus.

Posso comprar pela internet?

Não. Você nunca deve comprar o Sibutramina no mercado informal. Primeiramente, porque é um remédio que precisa de receita médica. Em segundo lugar, os efeitos colaterais são extremamente perigosos. Aliás, os medicamentos que são vendidos fora de farmácias ou drogarias licenciadas são completamente ilegais.

Caso você precise perder peso, consulte um médico para sanar suas dúvidas e escolher a melhor forma de se tratar.

Qual deve ser a dosagem?

O modo de usar o Sibutramina, dependerá totalmente da orientação do médico. De modo geral, é recomendado tomar 1 comprimido pela manhã, junto do café da manhã. Dessa forma você evita os efeitos colaterais, ao invés de tomar o medicamento em jejum.

Primeiramente, se for usado seguindo as orientações médicas, o Sibutramina pode, sim, levar a bons resultados com bastante segurança.

Confira o vídeo a seguir, relacionado a esse tema, para aprender ainda mais:

Para mais conteúdo, clique aqui.

🥇 Dieta Ravenna: perca peso com a mente 🤔

Olá meninas! Hoje eu trouxe uma dica muito legal. Você já ouviu falar da Dieta Ravenna?  Ela é uma forma de alimentação hipocalórica que ajuda a alcançar o peso ideal. Essa dieta tem como base não comente a nutrição, mas também os pilares da psicologia e da medicina.

Nas últimas três décadas, muitas pessoas conseguiram uma perda de peso inacreditável ao frequentarem os diferentes centros do Dr. Máximo Ravenna. Além disso, esses pacientes conseguem manter o peso mesmo depois de anos. Esse fator é o que de fato garante a eficácia nessa forma de se alimentar.

O que é dieta Ravenna?

Alguns anos atrás, o psicólogo argentino Máximo Ravenna desenvolveu um método semelhante à maneira pela qual outras áreas lidam com vícios, como o cigarro, álcool ou jogos de azar. Vendo de perto, o psicólogo afirma que essas doenças não são tão diferentes assim da compulsão que as pessoas tem em relação à comida.

A metodologia dessa dieta considera as razões psicológicas que faz com que a maioria das pessoas não consiga perder peso. Trata-se, portanto, de uma terapia que considera as pessoas com excesso de peso como viciados em alimentos, que tem recaídas e problemas para superar essa compulsão.

Confira o vídeo que separei para você sobre o assunto:

Como funciona a dieta Ravenna?

Primeiramente, a pessoa precisa estar ciente do seu excesso de peso e aceitar que a solução depende apenas dela mesma. A partir desse primeiro passo fundamental, alguns princípios básicos passam então a ser trabalhados:

  • Corte: nessa primeira etapa a pessoa precisa cortar os excessos e a compulsão nas refeições, bem como diminuir o número de refeições diárias.
  • Medida: Diminuindo o tamanho das porções a cada refeição e encontrar uma medida adequada.
  • Distância: como o próprio nome sugere, consiste em tomar distância dos excessos, por meio de certas ações.

Limite de calorias por dia

Seguindo a Dieta Ravenna, o consumo diário é reduzido a 600 calorias! Mas pode ficar tranquila, amiga, você não vai ficar morrendo de fome. Aliás, o grande segredo para que a dieta Ravenna funcione é que a mente precisa ser trabalhada constantemente: desde a sua manutenção básica, passando pelo comportamento alimentar até chegar no comportamento da pessoa em todos os âmbitos.

O que precisa ser feito é mentalizar que alguém que costuma ingerir 4.000 ou até mesmo 5.000 calorias diárias consegue reduzir para 500. Sabe por quê? Porque quanto mais a pessoa come, mais ela vai precisar comer. Quanto mais temos, mais queremos. Seguindo essa mesma linha de pensamento, quanto menos comemos, menos vamos querer comer.

Primeiramente, deve ficar claro para você que a dieta Ravenna é uma dieta de baixa caloria, mas que você pode optar por limitar as calorias a 600, 800 ou até 1000. Tudo isso vai depender do que você considera o peso ideal para o seu corpo.

Amiga, sabe qual é a melhor notícia? O tempo que o corpo leva para se adaptar. Aposto que você deve ter imaginado que levaria semanas para o seu corpo se acostumar. Saiba que o tempo que leva para que seu corpo se ajuste a uma alimentação de 600 calorias por dia é de 24 a 48 horas!

O principal é manter sua mente focada para não consumir nada acima da meta. Quer um exemplo? Quando você vai ao restaurante e tem uma cestinha de pães. Sabe por que eles estão lá? Porque o pão aguça o apetite!

Sim, existem diversos alimentos que estimulam o seu apetite. É por isso que, logo no começo, você precisa retirar as farinhas da sua alimentação.

Trabalhando o emocional na dieta Ravenna

Você precisa mostrar à sua mente que você pode e vai emagrecer sem precisar  passar por uma cirurgia. Sem ter que tomar quaisquer cápsulas. Saiba que você é dona de seu comportamento em relação à comida e que a comida não precisa ser comida por você naquela hora. Trabalhe sua mente e volte a acreditar na sua autoestima.

Não se sobrecarregue com o estigma de que uma pessoa gorda não pode voltar a ser magra. A pessoa gorda já foi magra e quer voltar a ser o que ela já foi. Para isso, você precisa passar por uma fase de manutenção. Uma ótima alternativa é participar de grupos para pessoas que estejam com o mesmo problema.

Os viciados em comida precisam consultar um terapeuta?

Você precisa estar perto de alguém que viva na pele os mesmos problemas que os seus. Pode ser um terapeuta ou mesmo um grupo que apoie seu emagrecimento. Muitas vezes uma pessoa gorda acaba se deprimindo pelo seu passado. Por isso mesmo encontrar grupos de pessoas com os mesmos problemas será de grande ajuda.

Com um terapeuta, o objetivo é acabar com o prazer que uma pessoa obesa almeja por meio da comida e que a leva a transgredir a dieta. Essa pessoa aprende a repensar a alimentação e a considerar as consequências de uma refeição inadequada.

Comer menos não apenas reduzirá a saciedade e o apetite, como também vai estimular diferentes neurotransmissores, para que você se sinta mais feliz, melhore seu sistema imunológico e gere mais endorfinas.

O que se come na dieta Ravenna?

O principal fator da Dieta Ravenna é entender que as farinhas são um perigo para a sua dieta, portanto, evite-as a todo custo. Os carboidratos possuem uma substância que gera insulina, e isso faz com que, ao invés de saciar, te deixa ainda com mais fome.

Os alimentos nos quais se essa forma de alimentação se baseia são:

  • No café da manhã: cereais, frutas, algumas fatias de peru ou iogurte.
  • – No lanche: Mussarela, peru, 1 iogurte + 1 cítrico ou pêra.
  • Nas Refeições e jantares: 1 prato (sobremesa) de legumes e tomate (cru e / ou cozido) com 1 colher de chá de azeite, além de poder varias entre os seguintes alimentos:
  • Sal moderado
  • Vinagre ou limão
  • Carne sem pele
  • 1 filé de pescada grelhada
  • 1/2 lata de cavala natural
  • 1 omelete de queijo francês
  • 1 bife de carne grelhada
  • Laticínios: queijo magro
  • Clara do ovo.
  • Carnes sem gordura
  • Frango sem pele, grelhado ou assado
  • Peixe fresco ou embalado na hora
  • Vegetais crus ou cozidos, sozinhos ou em preparações como saladas, assados, puré, como guarnição, etc.
  • Frutas
  • Métodos de cozimento: cozidos, assados ou grelhados.
  • Água mineral com ou sem gás.
  • Sucos e refrigerantes sem açúcar.
  • Café, chá e infusões.

Saiba que depende apenas de você obter o corpo ideal. Mentalize isso e saiba que dizer adeus às farinhas é o primeiro passo. Você consegue, tenho certeza!

Confira o vídeo a seguir, relacionado a esse tema, para aprender ainda mais:

Para mais conteúdo, clique aqui.

🥇 Combatendo a Obesidade de forma Saudável 🤔

Olá meninas! Hoje trouxe um assunto bem interessante e que, tenho certeza, vai ser de grande ajuda: o combate à obesidade. Você sabia que no Brasil, a cada cinco pessoas, uma está acima do peso?

É claro que, quando falamos sobre obesidade, temos que lembrar de todas as complicações que podem surgir devido a ela. Os problemas da obesidade abrangem diversos campos, como:

  • Físico: diabetes, doenças respiratórias, doenças cardiovasculares, problemas nas articulações, além de problemas digestivos, entre outros;
  • Psicológico: baixa autoestima, depressão, ansiedade, distúrbios alimentares, etc.;
  • Sociais: isolamento da sociedade, discriminação no local de trabalho entre outros.

Quais as maneiras de combater a obesidade?

Em primeiro lugar, você precisa saber se faz parte dos grupos de risco. Procure descobrir se há casos de obesidade na sua família, desde pais até irmãos, tios, avós.

Vale frisar também que não basta ter apenas a predisposição genética para que você apresente obesidade. É preciso que você tenha maus hábitos alimentares, não pratique exercícios, etc. Enfim, são diversos os fatores que contribuem para o surgimento da obesidade.

Procure calcular o seu IMC e, se possível, meça a circunferência da sua cintura. Lembre-se que o mais importante de tudo é levar uma vida saudável para viver mais e melhor. Portanto, antes de mais nada, responda às perguntas que eu irei fazer:

Por que eu quero perder peso e melhorar minha forma física?

Não existe motivação melhor ou pior para perder peso. Ninguém além de você tem o direito de julgar ou invalidar quaisquer que sejam suas razões. Vale desde motivos mais gerais, como a perda de peso para evitar problemas de saúde, como os que eu citei lá no começo, até a vontade de emagrecer para caber em um determinado vestido. Sua motivação é você quem faz!

As duas razões são legítimas e você, mais do que ninguém, deve encorajar a si mesma. A motivação é fundamental para que você possa continuar o seu caminho, mesmo que algumas coisas não saiam conforme o planejado. No entanto, não se coloque para baixo nem se aterrorize para conseguir alcançar o seu objetivo. Essa nunca é a melhor opção. Principalmente se for com crianças. A motivação sempre deve ser maior do que qualquer recriminação.

Algumas vezes, acaba sendo ainda mais eficaz manter o foco na aptidão física, querendo melhorar a sua saúde, seus músculos, sua resistência, do que na perda de peso em si. Afinal, começando uma academia ou exercícios para melhorar suas condições físicas, certamente fará com que, como consequência, você perca peso.

Na maioria das vezes isso também ajuda nos seus sentimentos mais subconscientes, te ajudando a se manter motivada e focada sem desistir.

Confira o vídeo a seguir, relacionado a esse tema, para aprender ainda mais:

O que posso mudar na minha dieta?

Muitas pessoas acabam deixando a maior parte do foco no que mudar em sua dieta, o que comer e o que não comer para ter sucesso na perda de peso. Não existe uma resposta específica para essa questão, afinal, cada organismo reage de uma forma diferente. Você precisa começar uma autoavaliação: seja crítica e avalie seus hábitos alimentares.

Para ajudar, você pode separar um caderno para isso: anote nele tudo o que você comer durante o dia e qual a quantidade aproximada. Dessa forma você poderá avaliar de forma mais impessoal seus hábitos de alimentação e perceber as falhas. Outra dica é planejar menus para o dia ou para a semana. Dessa forma você pode variar a comida durante os dias de semana sem cair naquela mesmice.

Existem diversos vídeos na internet ensinando a fazer menus saudáveis sem ter de abrir mão da carne, por exemplo, nem de uma guloseima uma vez ou outra. É claro que qualquer coisa em excesso faz mal. Você não pode viver só de junk food, mas também não precisa viver só de salada. As duas coisas farão mal e te deixarão com falta de vitaminas no corpo.

Além disso, você pode consultar um endocrinologista e um nutricionista para avaliar seus hábitos e se reeducar. A escolha de mudar tem que ser feita por você. Isso tem que ser uma decisão inteiramente sua, tudo o que eu posso fazer é te ajudar por meio dessas dicas.

Vale ressaltar que não existe uma dieta perfeita para todos. Como eu disse, cada corpo é diferente e também reage de forma diferente.

Procure mudar seus hábitos alimentares aos poucos, e não de forma radical. Insira novos alimentos aos poucos, substitua alguns outros, até que você consiga alcançar uma refeição que julga equilibrada.

Que atividade física devo escolher?

O importante não é a quantidade de esforço que você vai precisar fazer em cada exercício. Não é necessário começar algo exótico, como escalada, ou stand up paddle. O que importa mesmo é começar!

Primeiramente, você tem que escolher uma atividade que respeite sua condição física e de saúde. É preciso dosar o peso que as articulações irão receber, para não sobrecarregá-las. Se você tem pressão alta ou diabetes, pode conversar com seu médico sobre as atividades físicas mais aconselháveis.

Comece aos poucos, para que você respeite o ritmo do seu corpo, mas também para que ele vá se acostumando ao ritmo dessa nova atividade física. É claro que no começo podem surgir alguns incômodos ou dores, afinal, seu corpo estava acostumado ao sedentarismo e vai reclamar dessa mudança. Cabe a você dosar para que essa mudança seja feita de forma gradual, mas constante.

Você pode começar com pequenas caminhadas, pode andar de bicicleta ou então começar praticando pequenas corridas no seu bairro. Vale lembrar que muitas atividades que são feitas em grupo, como aeróbica ou dança, são excelentes, pois o apoio de outras pessoas irá te incentivar a continuar focada nos seus objetivos. Se prefere atividades ao ar livre, você pode sair para nadar, por exemplo, correr em um parque, fazer aulas de spinning, lembrando sempre de respeitar a carga máxima indicada pelo profissional.

Existem diversas atividades as quais você pode começar para combater a obesidade. Procure algo que você realmente goste, ou então, se ainda não descobriu nada, tente alguma delas! Se você não gostar pode parar e tentar uma outra! O importante é continuar sempre em frente, buscando sempre uma vida com saúde e disposição!

Confira o vídeo que separamos para você sobre o assunto:

Para mais conteúdo, clique aqui.

You cannot copy content of this page