Tag: fertilidade

🥇 Clomid – O que é? Saiba TUDO sobre esse medicamento! 🤔

Olá meninas! Estava fazendo uma pesquisa recente na internet e li que o número de mulheres que vem enfrentando problemas para engravidar tem aumentado. Os problemas de infertilidade podem ter várias causas, o que acaba comprometendo a vontade de engravidar e também de ser mãe.

Essa situação pode até mesmo levar a casos de crises de ansiedade e até depressão. Entretanto, nos dias atuais existem muitas formas de tratamento.

O que é Clomid?

O Clomid é um medicamento bastante usado para tratar os casos de infertilidade, quando é causada pela dificuldade de ovular. A sua indicação é restringida a pacientes que não conseguem ovular. Além disso, é indicado apenas às mulheres cujo organismo consegue fazer a absorção do citrato de clomifeno sem problemas.

Esse medicamento auxilia no surgimento dos óvulos, permitindo então que eles sejam liberados do ovário para que possa haver a fecundação. Com o uso do Clomid, a ovulação acontece geralmente de 6 a 12 dias, depois da administração do medicamento.

Como é feito o Tratamento?

O tratamento consiste em 3 ciclos que, dependendo das orientações do médico, pode ser de uso contínuo ou  então alternado. Somente após o tratamento é que deve ser feita a tentativa de engravidar. No entanto, caso a gravidez ocorra durante tratamento, o uso do Clomid deve ser imediatamente interrompido.

No primeiro ciclo, a pessoa toma 1 comprimido por 5 dias. Para as mulheres que menstruam, essa etapa deve ser iniciada a partir do 5º dia do seu ciclo menstrual. Caso a ovulação aconteça, não é necessário aumentar a dosagem.

Caso não ocorra a ovulação durante o 1º ciclo, a pessoa inicia o 2º ciclo, no qual a dosagem deve ser de 100 mg pelo período de 5 dias, após aguardar um mês do fim do 1° ciclo. A dosagem não deve ultrapassar as 100 mg diárias. Se, mesmo com o tratamento, a mulher não apresentar ovulação durante 3 ciclos, deve considerar um outro tipo de tratamento.

Confira o vídeo que separei para você sobre o assunto:

Aborto espontâneo

O percentual de mulheres que usaram o Clomid e que sofreram um ou mais abortos espontâneos é de 21,4%.

É possível engravidar de gêmeos?

Sim. É importante frisar que o tratamento com o Clomid irá aumentar as chances de engravidar de mais de um bebê. Essa possibilidade e também os possíveis riscos que a gestante poderá correr no seu período de gravidez devem ser analisados e abordados entre médico e paciente, antes que seja feito o tratamento com esse medicamento.

Essa tendência a engravidar de gêmeos se deve ao estímulo no corpo, que acaba liberando mais de um óvulo durante o período fértil. No entanto,  não há garantias reais disso ocorrer.

Vou engordar ao tomar Clomid?

Infelizmente não existe uma resposta definitiva para essa pergunta. Afinal, você deve levar em conta o fato de que cada organismo reage de uma forma diferente quando está sob efeito desse medicamento. Entretanto, existem algumas pessoas que relataram ter ganhado peso ao utilizar. Fato é que ele age no corpo de forma a provocar um aumento na retenção de líquidos, o que resulta na sensação de inchaço.

Além disso, existem relatos de pessoas que fizem que o tratamento com o Clomid aumenta o apetite, provoca alteração hormonal e também ansiedade.

E se eu esquecer de tomar?

Se por caso, você esquecer ou passar da hora de tomar a medicação, nunca tome dois comprimidos juntos, como se fosse uma forma de compensação.

Ao esquecer de uma dose, você pode atrapalhar o tratamento e também o ciclo ovulatório. Por isso, caso isso aconteça, procure orientações do seu médico.

Cuidados especiais a serem tomados

É preciso ser muito cuidadosa, pois existem certos casos em que este tratamento é bastante recomendado: caso haja suspeita de pouca sensibilidade à gonadotrofina pituitária, como é o caso de pacientes que apresentam síndrome do ovário policístico.

Se você utilizar Clomid por um tempo além do recomendado, pode haver alterações na síntese do colesterol, devido ao aumento do índice sanguíneo.

O uso desse medicamento durante gravidez e lactação é totalmente prejudicial. Por isso, para que você possa evitar o uso do Clomid logo no início da gravidez, é bem importante fazer testes ao longo dos ciclos do tratamento, para saber se ocorreu a ovulação. Os testes ajudam ainda a medir a temperatura basal do corpo, observando a paciente cuidadosamente, assim, é possível saber se há algum sinal de ovulação. Um teste de gravidez também precisa ser feito antes de passar para o próximo ciclo de tratamento.

Avisos importantes!

Há alguns registros de que durante o tratamento com Clomid, algumas pacientes apresentaram a Síndrome de Hiperestimulação Ovariana. Com sintomas como o acúmulo de líquidos ao redor do coração, edemas, hidrotórax, dor abdominal aguda, insuficiência renal, acúmulo de líquidos no pulmão, sangramento nos ovários, trombose, torção do ovário, entre outros.

Para maior precaução é bastante indicado a ingestão de uma dose menor.

É imprescindível se consultar sempre com o seu médico caso haja qualquer sintoma diferente, como dor abdominal ou pélvica, aumento de peso, desconforto acompanhado ou não de aumento do abdômen.

Se você sentir que houve alguma mudança no organismo com o uso de Clomid, é muito importante que seja feita uma análise para verificar se surgiram cistos ovarianos através de um exame ginecológico. No entanto, caso isso tenha ocorrido, o tratamento deve ser suspenso até que haja uma regressão total.

Contraindicações

Clomid é contraindicado:

  • A mulheres que já estejam grávidas ou amamentando;
  • A mulheres com doenças no fígado;
  • Problemas de cistos ovarianos;
  • Mulheres com metrorragia;
  • Mulheres que são alérgicas ao citrato de clomifeno ou outro componente;
  • Pacientes com doença no fígado ou histórico de disfunção;
  • Mulheres com tumores hormônio-dependentes;
  • Pacientes com sangramento uterino;
  • Mulheres com cisto no ovário, exceto no caso de ovário policístico;
  • Não deve ser usado se for dirigir veículos ou operar máquinas pesadas.

Efeitos colaterais

Todo medicamento apresenta as suas contraindicações e efeitos colaterais, podendo ser mais fortes em algumas pessoas do que  em outras. Tudo vai depender do organismo de cada um. A posologia e dosagem devem sempre ser prescritas por um médico.

Os principais efeitos colaterais são:

  • Aumento nos batimentos cardíacos.
  • Inchaço no corpo;
  • Desconforto no abdômen;
  • Calor repentino;
  • Dores de cabeça;
  • Falta de lubrificação;
  • Visão embaçada;
  • Reações alérgicas de asma brônquica;
  • Aumento do tamanho dos ovários;
  • Dor ao urinar;
  • Catarata;
  • Convulsão;
  • Ansiedade, depressão;
  • Mudanças de humor;
  • Nervosismo, insônia;
  • Dermatites, urticária;
  • Redução na espessura endometrial;
  • Náuseas.

Primeiramente, é muito importante frisar que você não deve nunca se automedicar. Somente um médico pode receitar o Clomid, caso haja real necessidade. Além disso, os efeitos colaterais devem ser considerados antes de você tomar a decisão de iniciar o tratamento.

Confira o vídeo a seguir, relacionado a esse tema, para aprender ainda mais:

Para mais conteúdo, clique aqui.

You cannot copy content of this page